Blue Flower

CETRAB – Centro de Tradições Afro-Brasileiras* é uma Entidade de Beneficente de Assistência Sócio Cultural, sem fins lucrativos, fundado em 14 de janeiro de 2000, com atuação desde 1994. É regido por seu estatuto, registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas sob a matrícula nº 179.919 e no CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas sob o nº 03.643.652/0001-32.
 

Missão
“Contribuir com o resgate e a preservação da cultura das Tradições Afro-Brasileiras, em busca de descobertas e a elevação crescente do espírito do ser humano; além da prestação de serviços sociais e tudo o mais que concerne ao pleno exercício dos direitos do cidadão.”

Visão

Uma sociedade justa não espelha discriminações.

Valores
Solidariedade
Coletividade
Justiça
Equidade

Para execução de suas finalidades, coordena ações integradas de:
a) planejamento, organização, coordenação execução de eventos, cursos e atividades de treinamento ligados a cultura de povos antigos e desaparecidos;
b) promoção e estimulaçção de pesquisas e estudos da Cultura Afro-Brasileira, Oriental, Científica e também das Terapias Alternativa;
c) contribuição para a formação social Brasileira, promovendo e patrocinando a atividade acadêmica, e o desenvolviento social através de ações comunitárias;
d) divulgação e difusão de materiais relacionados com as atividades afins;
e) prestar serviços ou cooperar tecnicamente com entidades públicas ou privadas, no que concernir estritamente aos seus fins;
f) manutenção de intercâmbio com Instituições da mesma natureza, no Município, no Estado, no País e no Exterior.

Histórico
Desde 1994, o Presidente Fundador e Idealizador, Sr Marcelo dos Santos Monteiro, enquanto Sacerdote do Culto de Orixá no Brasil, iniciou o Curso Afro-Brasileiro de Toques, Cânticos e Danças, que foi, ao longo do tempo, ministrado na UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, na COMCAN – Congregação Mineira de Candomblés com sede em Belo Horizonte – MG, além de várias Instituições de Culto e Cultura dentro do Estado do Rio de Janeiro, levando-o a participar e contribuir com entidades afins, prestando orientação e apresentando a Companhia de Dança montada pelos alunos do Curso Gbara Omo Orisa.

Através de estudos e pesquisas iniciou-se a elaboração de material escrito e fonográfico na busca de contribuir com o resgate, valorização e preservação da Cultura Afro-Brasileira.
A fundação do CETRAB amplia ações afirmativas e se volta hoje para a organização interna das Comunidades de Terreiro.